RSS

Arquivos diários: 08/09/2013

Eu vou errar

vf294

Eu vou errar…
como todo ser
que pensa em acertar,
que luta pelo que crê.
Irei até onde os pés deixarem
e o coração pretender sonhar.

Eu vou errar…
fraquejar diante dos meus limites,
da fronteira que me impedirá prosseguir e
ver no peso da minha pedra
o motivo que fará
me entregar.

Eu vou errar…
querer abrigo
ser amado
por quem puder me amar,
sofrer por quem me fizer
sentir vontade de chorar.

Viverei sempre
querendo acertar,
sem saber se o caminho
me fará chegar
ao destino que quis traçar,
mas poderei olhar pra trás
e ver que fiz
tudo que estava
em minhas mãos
poder fazer.

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 08/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

Alma vagabunda

alma vagabunda

Nunca darei a você
amor que sacie
sua alma vagabunda,
sua sede de vinho e de rua,
que você tem na garganta
e me cospe
quando me ingere e rejeita,
se me prova em delírio
(por engano)
como cicuta.

Nunca darei a você
amor sem pecados,
que engane
sua alma de santa.
Nem terei em mim
o desejo da pureza,
que você precisa
na sua saliva,
quando me engole
(me janta)
como castigo.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 08/09/2013 em POESIA, sensual

 

Etiquetas: , , , ,

Lugar algum

6874282710_69aa5e45d2

Navegar sem leme
e sem rumo certo,
não hospedar nos olhos
lugar algum
e só encontrar o deserto
que restou em mim.

Derramar nos poros
o teu verso náufrago,
sem bálsamo e lenitivo
sem amenizar
o afogar definitivo

Não ter ilhas, cais,
nem beira de mar.
Somente o medo
de não mais
poder me ancorar.

Vagar na planta dos pés
com ânsia de me isolar.
Só levar comigo
o mapa dos teus olhos.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 08/09/2013 em POESIA, solidão

 

Etiquetas: , , , , , ,

Versos de amor

tumblr_m5o4xnwTle1qznlffo1_1280

Você é meu castigo,
meu ninho,
meu desperdício,
um sonho que arrisco,
sem perceber.

Você é o que mastigo,
é quem eu rabisco
em telas de vime.
É o que me atiro,
sem ver o risco
de me perder.

Você é o que valida
meu sacrifício.
Me surra, me empurra
aos precipícios
sem se importar.

Você é o que persigo,
me abriga, me rima,
inspira versos de amor
nos caminhos que sigo.
É tudo que quis
desde menino,
sem descansar.

Você é meu sorriso,
o motivo que faz
um amor sem medir
a razão que me diz
valer a pena lutar,
o sentido de tudo
me fazer feliz.

 
 

Etiquetas: , , , , ,

Versos de dor

577159_130169360448172_320861432_n

Sou pedaço de terra,
celeiro de palavras que crescem,
espalham-se pelo chão,
-desarrumadas-
Emaranham-se entre si.

Faço frases no quintal,
jogo-as nas calçadas.
onde pisam os homens sós,
alienados pelo tempo.

São palavras que sangram
na ponta dos dedos.
Arrancadas sem piedade,
desabitadas dentro de mim.

A minha poesia é frágil.
Ela se derrama em vendavais,
ousei sonhar um dia
e me deram arsenais.

Os meus versos são de dor,
mas um dia foram rimas,
soterraram meu sorriso
e me condenam de ser triste.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 08/09/2013 em versos tristes

 

Etiquetas: , , , ,

Bola de cristal

1010275_425497390898469_2084904711_n

Desbastei ervas daninha,
e preparei o cio do jardim.
Adubei o caule das orquídeas
e esperei…
a declaração da chuva,
-à tua espera me pintei.

Pontilhei o caminho
com laços e flores.
Escrevi pelo chão
versos da nossa canção
e descansei meus braços
pra te abraçar.

Desenhei em sofreguidão
(em tela acetinada)
teu sorriso entre lírios
e névoas da manhã.
Esperei até amanhecer.
…Mas você não veio.

Minha bola de cristal
Nublada em minhas mãos
apontava mares desconhecidos,
impossíveis de te encontrar.
Com meu terno novo,
voltei ao jardim.
…À tua espera eu chorei.

 
1 Comentário

Publicado por em 08/09/2013 em desilusão, POESIA

 

Etiquetas: , , , ,

Andar descalço

200177_174580962589617_2843061_n

Não quero nada do futuro
que me tire deste agora,
tenho ânsia desta hora
e desta terra
que me ampara.

Prefiro olhar a paisagem
deste momento por este retrato,
do que tirar fotografias
pra lembrar imagens
que já passaram.

Não quero nada do passado,
escombros que me moeram,
ficaram duros como pedras
e no meu encalço doeram
pesando nos meus ombros
que já sangraram.

Quero só esta tarde livre,
pra poder andar descalço
e ouvir esta musica que escuto
no lugar do barulho dos homens
que (um dia) já cantaram.

 
2 Comentários

Publicado por em 08/09/2013 em espiritualidade

 

Etiquetas: , , , , ,

Coisas que aprendi

coisas que aprendi

Vejo sóbrio, os bêbados que fui.
Nas calçadas que andei em tropeços.
Em busca de coisas que desconhecia doer
e que nunca pude encontrar

Vejo os pássaros que fui,
parecendo correria de meninos
em trajetos desfigurados e ao vento.
Coisas que aprendi quando apedrejado.

Vejo moradas dentro de mim
que nunca me hospedaram.
Viagens que não fiz. Coisas que desisti,
tendo os pés plantados ao chão.

Vejo os meus olhos no espelho
e outros seres que me habitam,
refletindo os desafios que insistem
em fazer as pazes com o destino

Ah! O destino. Descobri que perdi os girassóis,
procurando nas coisas destruídas em mim,
mas o sol se reergue toda manhã e me convida
a juntar meus pedaços e seguir.

 
1 Comentário

Publicado por em 08/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , , ,

Palavras loucas de amor

guys--my-pics_large

Sussurra no beijo,
palavras loucas de amor
que eu demoro soletrar.
Desvenda meu mundo de códigos
e espalha meus segredos ao amanhecer,
e me arranha.

Diante dos meus espelhos, dança,
faz acrobacias, traduz versos
de um poema qualquer
e recita sorrindo, fazendo de mim
o que bem quer.

Depois me despe
trapo por trapo, até amadurecer.
Me apanha como fruta do pomar,
perfuma meu corpo
com seu hálito de romã
e me cheira.

Zomba de mim por eu te amar tanto,
depois engole, costela por costela
até eu me render,
me fazer morar
dentro da tua pele e acolher
célula por célula,
até eu me tornar libélula,
que pousa em tuas mãos
sem mais saber voar.

 

 
 

Etiquetas: , , , , ,

A grande ilusão do eu

21_01_2008_0373212001200930056_carioca

Cada vez que você lê o que eu escrevo, você lê o que interpreta dentro de você, nunca vai ler o que eu quero dizer realmente, pois o que eu quero dizer pertence apenas a mim e ao meu universo. Embora, eu saiba que seja difícil entender, em verdade, cada um tem seu próprio universo.
As minhas palavras vão passar pelo seu filtro interpretativo para depois serem conhecidos pela sua razão.
Todas as vezes que olhar para si mesmo, não verá a realidade de um ser, mas a imagem construída de alguém que você se identificou a vida toda. Nunca esse ser humano que você diz ser “EU MESMO” será o verdadeiro ser que você é.
Até ao dizer estas palavras, primeiro, este hóspede (que você acha que é você) vai achar que é com ele que estou falando e vai de imediato me chamar de idiota. Como se fosse possível haver outro alguém dentro de você. Pois é, aí reside o problema! Você vai procura-lo no lugar errado.
Não existe ninguém aí pra você confrontar, dar uma boa olhada e dizer: Então este sou eu. Enfim achei você que se diz ser EU, desista desta procura, é um conselho de quem não fez outra coisa nesta vida além de procurar algum SER REAL dentro de si.

O olho que tudo vê

A realidade ultima do ser não pode ser conhecida, pois é ele que esta conhecendo, assim como o olho não pode se olhar ou o dedo não pode tocar a si mesmo.
Entendido isso, vamos então, mudar de assunto, o que eu digo é inútil para minha vida e não vai me levar a lugar nenhum. Você poderá pensar assim, lendo estas palavras. Mas será mesmo?
Se existe alguém ou algo que observa tudo que sou e não pode ser observado, então o que é visto (neste caso, aquele que você chama de EU) não é a verdadeira consciência, o verdadeiro observador, visto que é você que observa o mundo e tudo que nele contem, incluindo aquele que você chama de EU mesmo! Não deixa de ser uma visão, uma ideia de si na falsa interpretação desta realidade ultima.
Palavras podem ser invalidas na mente de quem não tem interesse de ir além, assim como este texto está direcionado á quem dele souber tirar proveito, eu apenas reforçarei o que digo, para que aqueles a quem for dirigido estas palavras possam ter o seu sentido aproveitado no alivio de muita incompreensão que, como nuvens carregadas, escurecem a nossa visão e pensamentos.

O mito da humildade

Quem sou eu? Esta é a pergunta que se faz agora e talvez a pergunta mais feita pela humanidade e de forma alguma tenho eu a pretensão de responder esta pergunta.
Eu não sei quem sou eu, mas sei que não sou esta pessoa que vejo viver no mundo. E isto para mim, neste momento, é suficiente saber.
Agora que descartei ser o que é visto, basta seguir adiante sem esta ilusão. Então as coisas que me importava tanto em mim, começam a ser menos importante, começo o processo da não identificação com o corpo e mente que imagino ser eu.
Enfim o processo da humildade se instala em mim e pareço menos apegado a esta imagem que faço de mim. Pode não parecer, num primeiro momento, que isto tenha algum valor para você, muito pelo contrário, ser humilde é para pessoas incapazes e derrotadas. Eu vou lutar por mim! Pensaria você assim, esse papo de observador e observado é uma falácia. Não julgue com tanta pressa esta palavras, pense um pouco! O estado de realização e compreensão precisa passar pela anulação de si. Parafraseando Jesus “Aquele que quiser salvar a sua vida a perderá, mas aquele que perdê-la a salvará

 

Etiquetas: , , , , ,