RSS

O aqui agora

24 Maio

O tempo e o espaço são construídos pelo ego (eu) para que o manifesto possa ser percebido. Mas o tempo e o espaço são apenas uma ideia ilusória que é sequestrada do aqui agora pela mente.
Para se perceber o espaço é necessário criar a distância. Um sujeito e um objeto. Algo que vê e algo visto. Isso é o princípio da dualidade, a separação aparente que estamos todos envolvidos.
Em verdade o espaço só existe no aqui, mesmo que você parta em direção a outra cidade, todos os lugares que passar estarão sempre no aqui, nunca estarão lá. Isso mostra que a distância é relativa, só existe na percepção de dois elementos, o que é apenas um se torna dois. Mas o que o Deus uniu o homem não separa. (Separa apenas na ilusão)
Para se perceber o tempo é necessário criar uma linha entre o passado e futuro, dando a ilusão de que o manifesto existe como uma sequência de acontecimentos que se sucedem um ao outro. Mas o tempo apreendido pela mente é apenas uma medida ilusória, pois nunca se experimenta o passado ou o futuro, apenas o presente existe na mente, mas até este presente é questionável, visto que a mente só consegue interpretar o que acabou de passar por ela, e isto tira de imediato seu estado de presença no agora.
Em verdade só existe o agora, eterno e sempre presente, mas não assimilado pela mente, pois é imensurável. A mente só conhece o que ela pode medir, por isso ela cria a ilusão de uma linha sequencial chamado tempo onde os acontecimentos obedecem uma lei que viaja do passado para o futuro.
Visto então que o tempo e o espaço são apenas medidas ilusórias, isso comprova que aquele que os percebe também é ilusório (eu), pois o manifesto precisa estar na mesma natureza e essência para ser apreendido. Quando sonhamos não temos a ideia exata de estarmos deitados na cama e assistir dali o sonho, estamos inseridos dentro do mesmo processo, somos também sonhados. Quando acordamos percebemos que existiu apenas a ilusão de estarmos presentes em um outro estado dimensional.
Mas então, pensamos, se é assim como temos a exata percepção de existirmos? Estamos dentro de um sonho também? Examinaremos com mais calma esta questão, no momento é importante saber que nós não somos quem pensamos ser. Somos iludidos a pensar através do processo humano que somos identidades separadas, quando na verdade somos todos consciência de existir. A mesma e eterna essência conhecedora.1459110_753128268034554_892329463_n
O processo da ilusão se dá pelo fato de querermos presenciar nossa própria criação, tudo que nós vivemos é uma invenção do nosso próprio SER que se multiplica em infinitas células conhecedoras, somos todos um único e mesmo espirito que se estende ao infinito para se contemplar a si mesmo. Porem este processo não extrai nossa essência que é sempre o aqui agora,
nunca nada existe fora do aqui agora, nunca deixamos de presenciar o que quer que seja neste aqui agora. Assim como a língua é capaz de sentir todos os sabores que lhe tocar.
A ilusão de sermos entidades separadas que se perde no manifesto, faz com que busquemos nossa verdadeira realidade, por isso que o processo de sofrimento nos é imposto como uma seta indicadora de volta para casa. O mundo como nos é apresentado, visto pela ótica da mente que aprisiona o Ser em entidade separada em um tempo e espaço, nos faz criar um paraíso que possa nos aliviar após passarmos pelo sofrimento, eis ai a criação das religiões humanas. Inventamos em nossa criação a perpetuação desse “eu” que aparentamos ser, onde ele possa um dia e num outro lugar (criação do tempo e espaço) se acaso ele se comportar de maneira altruísta ou pagar seus erros do passado, desta e de outras vidas, poderá enfim gozar da sua existência.

Ao tentarmos compreender o que somos de verdade, partimos desesperados em busca de ensinamentos que nos ajudem a entender o que se passa, mas ao usarmos a mente estamos destinados ao fracasso, pois a mente é incapaz de nos mostrar o que é anterior a ela e o que não pode ser medido pelas suas ferramentas de compreensão. Então precisamos usar a própria mente para desconstruí-la. Assim como usamos um espinho para arrancar um outro espinho (Ramana Mararshi)
Devemos partir do princípio básico de questionar quem é esse que quer voltar pra casa, mas não colocar ai uma individualidade, pois qualquer sujeito que elegermos como nós mesmos é mais uma ilusão, pois não somos algo que possamos ver, identificar ou aprisionar novamente, somos antes de qualquer coisa aquilo que experimenta a existência como existência e não como algo que a experimenta separadamente dela mesma. Pois ao ser assim voltamos a criação do espaço (eu e mundo)
Em outro erro sutil, não devemos tentar nos conhecer em um processo de busca de si mesmo, pois ao partirmos deste ponto estaremos novamente envolvidos no processo ilusório do tempo. Pois ao entrar no tempo em busca de mim mesmo me afasto imediatamente da minha essência original. Visto que o agora não está no tempo. O tempo é que está no agora. Então não preciso sair deste momento para buscar a mim, devo ser consciente de estar eternamente presente aqui e agora, não como alguém que possa se conscientizar disso, mas como a própria presença atemporal não identificada com nenhum objeto perceptivo. (Qualquer identidade aí adicionada será ilusória) nossa verdadeira realidade não é identificável, se assim fosse exigiria que houvesse quem a identificasse. E assim infinitamente estaríamos envolvidos na busca deste imaginário eu.

Marcos tavares

 

2 responses to “O aqui agora

  1. Svarupo

    25/05/2014 at 9:41 PM

    Marcos, quando se está caminhando de nenhum lugar para lugar algum, às vezes surge um temor e corremos em busca de abrigo no tempo e no espaço, mas tudo é vão. Então é bom encontrar e descansar nesses não-lugares sem tempo nem espaço, nem localização, como esse seu lindo blog. Obrigado.

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: