RSS

Arquivo da Categoria: incentivo

Cuidar de viver

936506_559380467455477_952588849_n

Levanta a cabeça
e vá cuidar de viver,
ceifar as arestas,
…se reinventar.

Vá se distrair,
cuidar de você,
deixar o estrago
apodrecer.

Mande a merda
os desafetos, os ingratos,
aquilo que te feriu
mesmo sem querer.

Deixe a luz entrar,
tirar essa escuridão,
levar o silêncio desta mágoa
e brindar um novo amanhecer.

Jogue fora coisas inúteis
chore um dia inteiro,
tudo de uma vez ,se precisar.
Só não deixe o que já passou
dar rumo ao novo dia
que logo mais, já vai brilhar.

 

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 22/10/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , ,

Um grito dentro da alma

paty

Eu vou aprendendo com o chão
que por mais que eu lute,
não estou aqui pra conquistar
aquilo que não pertence a mim.
Por isso ás vezes
me rendo.

Eu vou desenhando meus sonhos,
moldando meus braços
e encorajando minhas pernas,
naquilo que me faz mais forte.
Por isso ás vezes,
eu venço.

Estou aqui para encontrar
o que faz meu coração vibrar
e que por mais que eu
pense em desistir
tem sempre um grito dentro da alma
que me encoraja a continuar.
Por isso que não sei desistir,
nem deixar de lutar.

 
2 Comentários

Publicado por em 15/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , ,

Medo de errar de novo

15333172

Tantas coisas cabem nos meus olhos,
e tão poucas no coração.
Um mural de fotos velhas,
horizontes que me estimulam viver,
mentiras que um dia foram verdades
alguns amores
que foram ficando
e não souberam partir.
Lembranças que eu preservo
com medo de me esvaziar.

Tantas coisas já habitaram meu coração
e tão poucas ficaram,
o ódio de ser tão frágil,
o sereno nas calçadas que pisava
sem precisar chegar.
Pequenos desafios
que venci inutilmente
e essa vontade
de querer aplumar meus passos,
com medo de errar de novo.

Tantas coisas moram dentro de mim,
movem-se nos meus sonhos e
ajustam meus braços pra alcançar.
Batem no peito com mais força
e ensinam esperar
a hora certa de chorar,
a luta certa pra vencer,
a pessoa certa pra sorrir,
e o chão seguro pra me levar.

 
1 Comentário

Publicado por em 10/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , , , , , ,

Eu vou errar

vf294

Eu vou errar…
como todo ser
que pensa em acertar,
que luta pelo que crê.
Irei até onde os pés deixarem
e o coração pretender sonhar.

Eu vou errar…
fraquejar diante dos meus limites,
da fronteira que me impedirá prosseguir e
ver no peso da minha pedra
o motivo que fará
me entregar.

Eu vou errar…
querer abrigo
ser amado
por quem puder me amar,
sofrer por quem me fizer
sentir vontade de chorar.

Viverei sempre
querendo acertar,
sem saber se o caminho
me fará chegar
ao destino que quis traçar,
mas poderei olhar pra trás
e ver que fiz
tudo que estava
em minhas mãos
poder fazer.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 08/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

Coisas que aprendi

coisas que aprendi

Vejo sóbrio, os bêbados que fui.
Nas calçadas que andei em tropeços.
Em busca de coisas que desconhecia doer
e que nunca pude encontrar

Vejo os pássaros que fui,
parecendo correria de meninos
em trajetos desfigurados e ao vento.
Coisas que aprendi quando apedrejado.

Vejo moradas dentro de mim
que nunca me hospedaram.
Viagens que não fiz. Coisas que desisti,
tendo os pés plantados ao chão.

Vejo os meus olhos no espelho
e outros seres que me habitam,
refletindo os desafios que insistem
em fazer as pazes com o destino

Ah! O destino. Descobri que perdi os girassóis,
procurando nas coisas destruídas em mim,
mas o sol se reergue toda manhã e me convida
a juntar meus pedaços e seguir.

 
1 Comentário

Publicado por em 08/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , , ,

Marcas do passado

1419293

Na arrumação dos armários
aparecem as marcas do passado.
Pessoas que doeram
em coisas que ficaram escondidas
e não me lembro mais ter vivido,
ter me feito triste.
Rio delas, perdidas nas gavetas
(que não abro mais).

Aprendi a ferir,
Jogar fora meus ideais.
Manchei de nanquim
o quadro na parede
da imagem de menina,
cheia de virtudes
que pensei
viver em mim

Eu gosto da rua,
o relento me fascina,
desarrumo as coisas
pra esquecê-las.
Tomo as rédeas do que restou
do meu coração
(que ainda bate)
e que lhe prometi
nunca mais o amor
ser a nossa doença.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 08/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , ,

Dentro da gente

378214_392759927451874_1212930064_n

Tem certas palavras
que saem da boca da gente
que não sabemos
de onde vem,
só quem sabe
é a musica que toca,
que dança,
dentro da gente.

Tem vezes que a gente
parece um poema, fica doendo,
de repente explode, lá de dentro,
se desmancha
numa folha de papel
e depois revela o que existe,
o que pulsa,
dentro da gente.

Tem pessoas que entram
na vida da gente,
e não entendem por que,
nem sabem o que fazem lá dentro.
Só quem sabe é quem sente
a alegria que preenche,
que fica,
dentro da gente.

 
1 Comentário

Publicado por em 08/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , ,

Coisa rara de guardar

DDD_117_by_scarabuss

Agradeço…
Posso ir sozinha.
Tenho os pés que ainda me amparam
e fé nas estrelas que vão me guiar.

É muita bondade tua
ter estendido as tuas mãos,
mas eu tenho desafios
que preciso vencer.
Com os braços que Deus me deu
eu vou tentar.

Valeu…
Foi bom saber, que você tem
sinceridade no olhar,
coisa rara de se ver.
Não entenda como orgulho
é um defeito meu, me aventurar.

Foi bom estar com você,
saber que poderia ficar,
mas o destino me chama,
vou levar no coração
a pessoa preciosa que você é.
Coisa rara de guardar.

Não sei se voltarei,
é melhor não me esperar
não sei onde estarei.
É uma sina minha
ter os pés sempre afobados
e continuar.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 08/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , , , ,

Este coração

Mariana Porttinary Silva

Este coração está melhor,
já bate sem se desmanchar,
já me faz caminhar de novo,
até arrisca, as vezes cantar.

Eu fui reaprendendo a sorrir,
vendo você saindo de mim
levando as lágrimas que gritavam
de tanta dor.

Agradeço ao chão que me amparou,
ao novo dia que sempre me chamou,
pra juntar o que restou e continuar.

Vão estar sempre comigo
os braços dos amigos
que puderam me amparar
ombros que deitei e descansei
e me deixaram chorar,

Vão ficar soterrados os sonhos
que fomos planejando juntos,
coisas que aprendemos gostar
mas deixamos de cuidar.

Este coração já vem sorrindo
parece até que nunca foi remoído
pelas coisas que a vida
nos desafia a enfrentar
sem ter como saber
quais serão os caminhos
que irão nos levar
e pelas pessoas que ela
nos destina a amar
sem poder saber
se vão querer ficar.

 
1 Comentário

Publicado por em 06/09/2013 em incentivo, POESIA

 

Chamada para um novo tempo

554699_483223105077956_2118000614_nChamem então o céu e o inferno,
a vida e a morte.
Chamem também, portanto,
tudo que é real e tudo que é irreal.
Chamem o amor,
e não esqueçam o ódio,
porque também é preciso,
pois, apenas passa por momentos difíceis,
esta errando e precisa acordar.
Chamem a beleza, sem mais palavras,
e junto, a feiura, lado a lado,
sempre mal compreendida.

Chamem a lucidez, a sobriedade,
os sensatos e a sustentabilidade,
aproveitem chamem seus contrapontos,
a ignorância, o entorpecimento,
os insensatos e o desperdício,
todos esses que se sacrificam
para ajudar os indecisos a escolher
e compreender o que é viver
em seus melhores e piores momentos
de alegria e de tristeza.

Decididamente chamem tudo
que pode ser certo
e tudo que pode ser errado,
chamem assim…
também o que ainda é nada.
Chamem todos os cidadãos do mundo
e não esqueçam de chamar carinhosamente
os judeus, os negros, os índios, os anciões,
as mulheres, os desvalidos, os inúteis,
marginais, famintos, os excluídos…
podem chamar também os brancos,
os ricos, os belos e saudáveis
…que ainda sofrem
e todos que se empenharam
em ter coragem nas suas vidas miseráveis

Chamem-me e chame-se,
Que venha tudo
Que arde e vibra
Que é profano ou sagrado
Que é doente, que rasteja, que dilacera
Que é forte, audaz, destemido
Que não tem remédio, nem raiz
Que foi vencido, subjugado, ameaçado
Chamem Deus, ele também pode
Chamem a consciência perdida de si

Unimo-nos e vamos todos,
porque chegou enfim o tempo,
sem mais delongas e demora,
o começo de um novo tempo
onde deixaremos para trás
a navalha da separação e
a existência estúpida de um Eu.
E seremos todos Um em realidade

 

Em parceria com José Expedito dos Santos

 

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 01/03/2013 em incentivo, POESIA

 

Etiquetas: , , , , ,